John Cleese: “Sou comediante para pagar o meu divórcio milionário”

Em uma entrevista para o jornal italiano Corriere della Sera, John Cleese (de 82 anos) falou sobre o espetáculo Last Time To See Me Before I Die (Última Chance de me ver Antes de eu Morrer), além de outros assuntos.

E ele garante que não perdeu um pingo de seu humor ácido.

Durante a entrevista, Cleese contou que ainda está no maravilhoso mundo da comédia por causa do divórcio da sua terceira esposa, Alyce Fay Eichelberger. “É a única maneira de ter uma renda regular, para pagar o meu divórcio de 20 milhões de dólares”.

Se eu não precisasse desse dinheiro, provavelmente não faria mais nada, é muito cansativo.

ENTREVISTA

Que mundo seria um mundo sem riso?
“Acho que seria o mundo do livro 1984, de George Orwell. A comédia cria intimidade e cancela as diferenças de classe. É um grande nivelador social”.

Quanto pesa o “politicamente correto” na comédia?
“Acho que politicamente correto é a morte da comédia. E o Monty Python não poderia existir hoje. Na verdade, mesmo quando estreou com a série Monty Python’s Flying Circus, em 1969, nosso produtor, Michael Mills, assumiu um grande risco ao nos colocar no ar sem saber o que iríamos fazer. Ele não sabia porque nós também não sabíamos. Ele apostou no nosso talento, o que os produtores não fazem mais hoje. Eles apenas tentam controlar tudo, saber exatamente o que vai ser naquele episódio e todos os outros da série. Eles devem simplesmente confiar nas pessoas que escolheram; e se não confiam neles, não devem escolhê-los. Eles também me dizem “Se produzirmos sua própria série, queremos saber o que vai estar lá”: bem, estarei lá! Você não acha que sou capaz de criar algo bom? Ok, mas não tente me controlar se você não sabe do que estamos falando”.

E, por fim, como você gostaria de ser lembrado?
“Como uma pessoa que tentou ser boa apesar de todos os seus fracasso”.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 40 anos na cara. Às vezes grava o podcast "Pythoneando" e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor dos livros "A História (quase) Definitiva de Monty Python" e "O Guia da Carreira-Solo dos Membros do Monty Python"

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.