Alguém realmente cantou ao ser crucificado igual em ‘A Vida de Brian’?

No final do filme A Vida de Brian, o personagem-título foi crucificado com mais uma galera. Foi então que, de repente, um deles começa a cantar a bela canção Always look on the bright side of life.

Sendo assim, todos os crucificados passam a cantar também. Além de assobiar lindamente.

Aqui aconteceu igual o final de A Vida de Brian
Yodfat, a cidade onde supostamente aconteceu um fato muito doido

Veja Mais Em: A Vida de Brian: as piadas que não entraram no filme – Parte 2

Essa cena final foi escrita por Eric Idle, e serviu para criar a boa e velha quebra de expectativa no público. Afinal de contas, quem é que esperava que um monte de gente crucificada começasse a cantar?

Mas, na época do Império Romano, realmente existiu alguém que começou a cantar enquanto estava crucificado?

JOSEFO

Quem pode nos responder essa dúvida é o historiador judeu Flávio Josefo.

Ele viveu entre os anos 37 e 100 depois de Cristo, e escreveu muito do que sabemos hoje sobre aquela época.

De acordo com o site The Flavius Josephus Home Page, especializado na obra do historiador, aconteceu algo muito pythonesco logo depois do Cerco de Yodfat.

CERCO

O Cerco de Yodfat aconteceu no ano 67 d.C., quando o general romano Vespasiano e seu filho Tito saquearam a cidade de Yodfat (que hoje pertence a Israel).

Durante a invasão, eles mataram a maioria dos habitantes e escravizaram o restante. Flávio Josefo participou da resistência, mas foi capturado pelos romanos.

Foi assim que ele testemunhou alguns conhecidos seus sendo crucificados e, um deles, protagonizou algo parecido com a cantoria no final do filme A Vida de Brian:

Um dos habitantes de Yodfat tinha sofrido todo tipo de tormentos; e embora eles o fizessem passar por um julgamento ardente, ainda assim ele não os informava sobre os assuntos da cidade e, ao ser crucificado, sorriu e mostrou a língua para os centuriões romanos.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 40 anos na cara. Às vezes grava o podcast "Pythoneando" e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor dos livros "A História (quase) Definitiva de Monty Python" e "O Guia da Carreira-Solo dos Membros do Monty Python"

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.