Estudo comprova a existência de granadas de mão na Idade Média

Um estudo lançado recentemente talvez comprove que as granadas de mão podem ter existido de verdade.

Se for comprovado, então quer dizer que a Santa Granada de Mão de Antioquia do filme Monty Python Em Busca do Cálice Sagrado pode realmente ter existido?

Fragmento de granadas de mão
Este fragmento pode ter sido um explosivo. Crédito: Robert Mason

Veja Mais Em: Aprenda a fazer a Santa Granada de Mão

Pois foi o que disseram os pesquisadores, depois que encontraram alguns vasos de cerâmica em escavações em Jerusalém.

De acordo com um estudo publicado na revista Plos One, os vasos serviram como arma na Idade Média.

SANTA GRANADA DE MÃO

Os vasos datam dos séculos XI e XII, e os especialistas os conheciam apenas por serem depósitos de cerveja, remédios ou óleos. Foi então que eles perceberam que alguns dos recipientes continham algum tipo de material inflamável.

Eles encontraram indícios de óleos e materiais medicinais nesses vasos, e logo suspeitaram que os povos usavam alguns deles como explosivos.

EXPLOSIVOS

Carney Matheson, um dos autores do estudo, disse que “provavelmente era um material explosivo inventado localmente”. Só que eles não sabem dizer se os povos usavam essas granadas para explodir os inimigos.

Ou pode ter contido os ingredientes químicos de um dispositivo explosivo, consistente com granadas de mão medievais.

Por isso, encomendaram pesquisas sobre os navios que transportaram essas supostas granadas, como forma de entender a tecnologia explosiva do período medieval.

Nota da redação: será que essas granadas eram úteis contra o Coelho de Caerbannog? E outra: será que eles contavam até três antes de jogá-la?

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 40 anos na cara. Às vezes grava o podcast "Pythoneando" e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor dos livros "A História (quase) Definitiva de Monty Python" e "O Guia da Carreira-Solo dos Membros do Monty Python"

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.