Eric Idle revela que se curou do câncer de pâncreas

Nesta semana, o membro do Monty Python Eric Idle revelou ao mundo que estava curado do câncer de pâncreas.

Só que ninguém sabia que ele estava se tratando dessa doença.

eric idle câncer

Veja mais em: Grupo contra o câncer tem nome pythonesco

Em uma entrevista para a revista TIME, ele afirmou que se sente sortudo, já que a doença tem a maior taxa de mortalidade de todos os principais cânceres. “Como eu tive essa sorte? Bem, porque foi encontrado incrivelmente cedo… Antes de ir a qualquer lugar”, afirmou o python, de 79 anos.

MORTE

Há dez anos, Eric Idle tinha acabado de escrever um espetáculo sobre um homem que morre, mas ninguém aparece em seu velório.

Então, para que o roteiro funcionasse, ele precisava matar o personagem da forma mais rápida possível. “Como parte de minha pesquisa, perguntei a um amigo médico, David Kipper, uma maneira rápida de morrer”.

Qual é a causa de morte mais rápida, segura e repentina?

Foi então que o médico respondeu: “Câncer de pâncreas. Você pode ter apenas três semanas de vida”.

“Perfeito”, eu disse.

CÂNCER

Dez anos depois, em 2019, Eric Idle fez alguns testes de saúde com seu amigo médico, que é especialista em medicina preventiva. “Ele fez exames de sangue e percebeu um marcador ligeiramente alto, uma pontuação de sangue duvidosa em um painel”.

Então ele decidiu dar uma olhada no pâncreas.

O médico chamou Idle para uma sala e, Eric viu que era assunto sério: “Então ele disse: ‘é câncer de pâncreas'”.

Claro que achei engraçado na hora. Aqui estava o Kipper me dando o diagnóstico que lhe pedi há 10 anos.

PIADA

Eric Idle decidiu que câncer de pâncreas é um termo tão assustador e assusta as pessoas. Foi pensando nisso que ele passou a chamar seu diagnóstico de Kenny. “Kenny é muito menos ameaçador. É administrável e é algo sobre o qual podemos falar publicamente”.

Ele passou um bom tempo na sala de cirurgia, levando a situação com bom humor.

SAUDÁVEL

Foi então que, há cerca de dois meses, o cirurgião disse para ele ir para casa: “Você vai melhorar muito mais rápido lá”.

Alguns dias depois, o médico confirmou os resultados, realmente era câncer de pâncreas.

O câncer se foi. Eles não conseguiram encontrar mais vestígios em meu corpo e falaram que eu vou viver. Então eu comecei a chorar.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 40 anos na cara. Às vezes grava o podcast "Pythoneando" e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor dos livros "A História (quase) Definitiva de Monty Python" e "O Guia da Carreira-Solo dos Membros do Monty Python"

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.