• Thiago Meister Carneiro

Jornal Comemora os 30 Anos de O Sentido da Vida

every_sperm_is_sacred1O jornal australiano Sydney Morning Herald fez uma matéria comemorando os 30 anos do lançamento do filme O Sentido da Vida.

A matéria cita alguns dos melhores momentos do filme:

“Há algumas coisas que nos prendem em O Sentido da Vida: Martinho Lutero como um pederasta, a cena do nascimento onde a máquina que faz ping é manipulada por um médico com um facão em punho, a obesidade mórbida do Sr. Creosote explodindo depois de se empanturrar em um restaurante francês e o pai católico cantando para seus filhos que “se o esperma for desperdiçado Deus fica muito irado”.

Mas, talvez a coisa mais surpreendente sobre o filme seja a forma como, mesmo depois de 30 anos, o trabalho dos seis pythons ainda pode chocar e perturbar mesmo quando você ri.

FILME
O último filme feito pelo Monty Python não foi concebido apenas para chocar. Ele tinha uma ambição visual e uma produção cara que passa longe dos filmes anteriores.

“Tínhamos os meios para fazer isso”, disse Terry Jones. “Acho que o orçamento foi de US $ 8 milhões, ou algo assim, então tivemos o orçamento perfeito para voarmos bem alto”

Curiosamente, embora mais elaborado e caro do que seus antecessores, O Sentido da Vida não foi maior nas bilheterias.

“Eu acho que teve menos impacto porque voltamos à fórmula de esquetes”, disse Jones.

(com informações de Bernard Zuel – The Sydney Morning Herald – 21-09-2013)