Monty Python entra na luta contra a imprensa sensacionalista

Um grupo de mais de 200 celebridades britânicas pediu aos donos de jornais para que adotem uma regulação mais estrita da imprensa do Reino Unido.

O objetivo da assinatura, que incluiu os membros do Monty Python John Cleese, Michael Palin e Eric Idle, é diminuir cada vez mais a ação da imprensa sensacionalista.

Quem também assinou o documento foram os atores Benedict Cumberbatch, Maggie Smith e Peter Capaldi, o diretor Alfonso Cuarón e a escritora JK Rowling, entre outros.

Famosos contra a imprensa sensacionalista

Estes famosos, junto com vítimas dos abusos da imprensa sensacionalista, pedem para que os jornais aceitem a Carta Real (Royal Charter). Essa carta é um documento assinado pela Rainha Elizabeth II com propostas dos principais partidos políticos, criando assim um novo código de prática e ética.

“Dizem que a sua liberdade de expressão está sendo ameaçada, mas quando alguém mostra que algo que eles fazem é lixo, ignoram os argumentos. Além disso, por vingança, atacam as pessoas que buscam a verdade”, escreveu John Cleese, em um comunicado.

Sua falta de escrúpulos é de tirar o fôlego.

Ele acrescentou que a carta régia “salvaguarda a imprensa de interferência política e, ao mesmo tempo, protege os mais vulneráveis​. É por isso que devemos apoiá-la, e é por isso que nós pedimos aos editores de jornais para que abrace-a”.

Nota da redação: Imprensa marrom é uma expressão usada para se referir a veículos de comunicação considerados sensacionalistas. Em inglês, o termo é yellow journalism.

Thiago Meister Carneiro

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 40 anos na cara. Às vezes grava o podcast "Pythoneando" e às vezes assiste Monty Python na Netflix. Autor dos livros "A História (quase) Definitiva de Monty Python" e "O Guia da Carreira-Solo dos Membros do Monty Python"

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.