• Thiago Meister Carneiro

Monty Python Em Memória de Jim Groth

No dia 28 de julho, o jornal Hixson Moss Bluff publicou o obituário do americano Jim Groth.

Ele morreu aos 52 anos.

Para o jornal, seus amigos disseram que ele era um indivíduo engraçado e pensativo. Mas o interessante é que ele deixou uma espécie de “auto-obituário” para quando morresse.

Tá, e o que Monty Python tem a ver com isso?

Tem a ver que, segundo o jornal, “Jim morreu sabendo que Monty Python Em Busca do Cálice Sagrado foi o melhor filme de sempre”, além de saber que Bruce Springsteen foi o melhor artista e Clint Eastwood o homem mais malvado do planeta.

Lendo o “auto-obituário”, realmente dá pra perceber que Jim era um cara espirituoso, como quando falou sobre os jogadores e seus pais, que ele conheceu em mais de 30 anos como técnico de futebol: “Meia dúzia dessas pessoas podem falar de mim com carinho, se pressionados”.

Jim Groth foi cremado, e um de seus últimos desejos foi que, “as cinzas sejam mantidas, desde que combinem com a decoração”.

Jim, não o conheci, mas me sensibilizei. Portanto, fique com Deus e dê um abraço no Dr. Chapman aí em cima!

Mais Coisas Pythonescas:

Jornalista Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 35 anos na cara. Foi para Camelot, mas desistiu de entrar porque era um lugar muito idiota.