• Thiago Meister Carneiro

Michael Palin doa Cadernos Valiosos do Monty Python

O Museu Britânico ganhou um verdadeiro tesouro do Monty Python.

Ontem, a imprensa noticiou que Michael Palin doou para o museu mais de 50 cadernos contendo um monte de informações pythonescas valiosíssimas para qualquer fã.

Veja Mais Em: Eric Idle revela salários do Monty Python 

São cerca de 22 anos de informação, de 1965 a 1987, incluindo os primeiros esquetes escritos por Palin e Jones para a série Flying Circus.

“Estou muito satisfeito pelo fato de que o arquivo tenha sido aceito pela Biblioteca Britânica e que eles o tornarão disponível para o público”, disse Palin, “para que as futuras gerações não cometam os mesmos erros novamente”.

PERSONAGENS
Segundo o jornal The Guardian, são cadernos onde nasceram personagens como Brian, o Sr. Creosote, o Ministro do Andar Tolo, os times do futebol de filósofos e um papagaio morto, tudo adornado com rabiscos de nomes que foram (ou seriam) usados na série.

Os cadernos doados também incluem os episódios preliminares do Flying Circus, o esquete que lançou suas carreiras e muitas reflexões pessoais.

Veja Mais Em: Músico lembra Monty Python no velório de amigo 

Ou seja, os esquetes que vemos escritos nos cadernos são aqueles que já conhecemos, mas que você vai conhecer o processo de construção e aperfeiçoamento dos esquetes.

Rachel Foss, chefe de arquivos e manuscritos contemporâneos da Biblioteca Britânica, disse que ficou encantado com o extenso arquivo. “Monty Python teve uma influência sem paralelo na comédia britânica”, disse ela. “É subversivo e conscientemente literário, então se encaixa de forma interessante com a coleção literária da biblioteca”.

DIÁRIOS
Além dos cadernos com o trabalho no Monty Python, a doação de Michael Palin também inclui arquivos de outros projetos de filmes e livros, como “The Truth”.

Veja Mais Em: RESENHA: “The Truth”, de Michael Palin

Os diários pessoais de Palin também revelam comentários político, a “ida” do homem à lua e o nascimento de seu filho.

“Michael Palin queria que isso fosse disponibilizado publicamente porque queria que as pessoas aprendessem com isso”, afirmou Rachel. “Eu acho que ele está entusiasmado com a ideia de que futuros comediantes ou jovens escritores possam ter alguma inspiração ao ver como a escrita criativa pode acontecer, particularmente desmascarando esse mito de que essas coisas simplesmente caem do céu em uma explosão de inspiração”, finalizou.

A coleção doada por Michael Palin estará disponível para exibição nas salas de leitura da Biblioteca Britânica a partir de abril de 2018.