• Thiago Meister Carneiro

O Sr. Creosote

01Interpretado por Terry Jones, o Sr. Creosote é um homem monstruosamente obeso que vai a um restaurante francês onde lhe é servido uma grande quantidade de alimentos, enquanto vomita repetidamente.

Depois de ser persuadido a comer uma hortelã após o jantar, ele explode.

SINOPSE
A entrada deste mórbido personagem é acompanhada por uma sinistra música, e é seguida por um curto diálogo com o maître do restaurante, interpretado por John Cleese:

Maître: Ah, boa tarde, senhor. Como estamos hoje?

Sr. Creosote: Melhor.

Maître: Melhor?

Sr. Creosote: Melhor pegar um balde, eu vou vomitar.

O Sr. Creosote é então levado à sua mesa, e uma vez sentado já começa a projetar jatos de vômito. O piso torna-se rapidamente coberto de vômito, assim como a mulher da limpeza e a calça do maître.

Depois de vomitar no menu aberto na sua frente, ele ordena que todos os pratos listados pelo maitre lhe sejam servidos. Como resultado, lhe é servido moules marinières, patê de foie gras, caviar de beluga, ovos Benedict, torta de alho-porro, pernas de rã Amandine e os ovos de codorna em uma cama de cogumelos todos misturados em um balde com os ovos de codorna no topo.

Os aperitivos são seguidos pelo prato principal de lebre, com um molho de trufas, bacon, Grand Marnier, anchovas e creme.

Para acompanhar, o Sr. Creosote tem seis garrafas de Château Latour 1945, uma taça dupla de champanhe e meia dúzia de caixas de cerveja. Consideravelmente menos do que o seu consumo habitual.

Ele termina a comilança e passa a vomitar tudo sobre si mesmo, sua mesa e funcionários do restaurante, fazendo com que os outros clientes percam o apetite.

Depois de explodir, o Sr. Creosote ainda está vivo, mas sua cavidade torácica está agora revelando suas costelas abertas e seu coração ainda bate. Como ele olha em volta, aparentemente confuso com o que acabara de acontecer, o maître calmamente caminha até ele e apresenta “o cheque, monsieur”.

01

CENA DELETADA
Foi cortada uma cena introdutória do Sr. Creosote passeando com um carrinho de mão sustentando a sua imensa pança. De fundo, toca o tema do Sr. Creosote: “Eu amo a minha gordura, minha gordura me ama. Quando estamos juntos, estamos tão grandes como três”.

RECEPÇÃO
Em uma entrevista para o Channel 4, o cineasta Quentin Tarantino disse que, apesar de estar acostumado com cenas com muito sangue jorrando, cabeças decepadas e membros estirpados, ficou com muito nojo desta cena.

Segundo ele, foi a única vez em que sentiu nojo ao ver um filme:

“Provavelmente a única vez foi quando eu vi O Sentido da Vida, quando aparece o gordo Sr. Creosote, que vomita em tudo. Lembro-me de pensar no cinema, ‘Se alguém vomita, e eu realmente sentir o cheiro enquanto eu estou vendo isso, eu também vou vomitar!”

Os críticos com estômagos mais fortes elogiam o humor negro da cena. O crítico e historiador de cinema Leonard Maltin declarou que é “uma cena inesquecível, independente da nojeira”.

A grande quantidade de vômito foi criada através da mistura de batatas com água e outros vegetais.

01
O Sr. Creosote na visão do artista canadense John Andrews

No dia 14 de agosto de 2013, a artista plástica Wendy Helliwell fez uma exposição sobre os 7 pecados capitais, e para representar a gula, ela se inspirou no Sr. Creosote.

Wendy-with-her-creation
A obra foi composta de pequenos menus, de pizzarias a restaurantes chineses

Mais Coisas Pythonescas:

Jornalista e Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 35 anos na cara. Foi para Camelot, mas desistiu de entrar porque era um lugar muito idiota.