• Thiago Meister Carneiro

O Cavaleiro Negro Pode Ensinar Marketing Social

Black-Knight-monty-pythonO consultor de Mídia Social e Vendas, Bruce Johnston, estava procurando alguma inspiração para escrever sua coluna no site em que trabalha, mas estava difícil.

Passou o final de semana assistindo Monty Python e o Cálice Sagrado e, segundo ele, percebeu que “o Cavaleiro Negro tem muitos bons hábitos e virtudes que podem ser utilizados com marketing de mídia social”.

1. O CAVALEIRO NEGRO É PACIENTE:

Arthur: Você luta com a força de muitos homens, Cavaleiro.
[Pausa]

Arthur: Eu sou Arthur, rei dos Bretões.
[Pausa]
Arthur: Busco os melhores cavaleiros para se juntar a mim em Camelot.
[Pausa]
Arthur: Você provou ser digno. Quer se juntar a mim?
[Pausa]

Neste primeiro não-diálogo, o Cavaleiro Negro demonstra sua paciência e, assim, podemos aprender com o seu exemplo.

Mídia social é visibilidade, credibilidade e relacionamentos, e todos eles levam certo tempo. Portanto, a paciência é uma virtude importante!

2. O CAVALEIRO NEGRO FOCA EM SUA MISSÃO:

Cavaleiro Negro: Ninguém passará.
Arthur: O quê?
Cavaleiro Negro: Ninguém passará.
Arthur: Eu não tenho nada contra você, bom Senhor Cavaleiro, mas devo atravessar esta ponte.
Cavaleiro Negro: Então você morrerá!

Concentrar-se nas mídias sociais significa ter objetivos e nunca perdê-los. Ter objetivos específicos leva a resultados mensuráveis ​​que sempre significam algo.

3. O CAVALEIRO NEGRO SABE COLOCAR AS COISAS NO CONTEXTO:

[Arthur corta o braço esquerdo do Cavaleiro Negro depois de uma curta batalha]
Arthur: Agora saia, digno adversário.
Cavaleiro Negro: É só um arranhão!
Arthur: Um arranhão? Você está sem o braço!
Black Knight: Não, não estou.
Arthur: Bem, o que é isso então?
Cavaleiro Negro: É só uma ferida superficial.

arthur-knight-black

Na mídia social, é preciso entender como as coisas se encaixam. Caso contrário, estamos apenas tentando nos engajar em atos fúteis de marketing.

Compreenderam?

Mais Coisas Pythonescas:

Jornalista e Especialista em Estudos Linguísticos e Literários, 35 anos na cara. Foi para Camelot, mas desistiu de entrar porque era um lugar muito idiota.